Profissão da área da saúde que trabalha com atividade humana, planeja e organiza o cotidiano.

É caracterizada pelo tratamento através de atividades aplicadas de maneira direta ou indireta, física ou mental, ativa ou passiva, preventiva, corretiva ou adaptativa.

Essas atividades são relacionadas às necessidades terapêuticas pessoais, sociais e culturais do paciente, refletindo os fatores que influenciam sua vida.

O objetivo da Terapia Ocupacional é encontrar meios para que as pessoas alcancem a sua autonomia e independência e possam utilizar ao máximo as suas potencialidades.

O terapeuta ocupacional avalia as atividades que a pessoa não consegue realizar, de forma a encontrar soluções para que possa melhorar seu desempenho funcional. Simultaneamente compreende e analisa quais as estruturas e/ou funções que estão a limitar o desempenho do paciente, procedendo então à construção de um plano de intervenção adequado, individualizado e verdadeiramente personalizado.

O treino de atividades de vida diária (AVD’s) consideradas problemáticas, a adaptação de utensílios e de mobiliário, o aconselhamento de mudanças no ambiente onde a pessoa realiza as suas atividades e, ainda, a orientação de cuidadores e familiares são também aspectos centrais na intervenção do terapeuta ocupacional.

A equipe de Terapia Ocupacional é formada por profissionais especializados em neurologia adulto, preparados para avaliar e atender pacientes com diferentes patologias neurológicas.

O atendimento tem por objetivo reabilitar aspectos motores, perceptivos e cognitivos por meio de atividades pré-selecionadas e analisadas para promover o restabelecimento das funções perdidas ou deficitárias.

A Terapia Ocupacional utiliza recursos terapêuticos, técnicas específicas e atividades funcionais para tratar e recuperar pessoas que apresentam qualquer alteração na realização de atividades da vida diária (AVD’s) como: higiene, vestuário e alimentação e em atividades instrumentais de vida diária (AIVD’s) como fazer compras, preparar refeições , gerenciar a vida financeira, além de trabalho, lazer e participação social.

O tratamento busca melhorar o desempenho funcional e treinar cada paciente na exploração de sua potencialidade, de modo a obter o maior grau de autonomia e independência possível, produtividade, funcionalidade e qualidade de vida.

É uma técnica de reabilitação para o membro superior acometido em pacientes com hemiparesia por sequelas de AVE, TCE, PC, entre outras patologias do sistema nervoso central.

A técnica prioriza a qualidade do movimento do membro mais acometido nas AVDs, através da mudança de comportamento e de hábitos compensatórios adquiridos pelo não uso.

Baseia-se no uso de atividades de repetição funcionais com contensão do membro não parético (braço funcional) e uso somente do membro parético.

Em casa é necessário dar continuidadade às atividades com uso da contensão em 100% das tarefas e realização de um conjunto de métodos comportamentais que são trabalhados no ambiente real do paciente.

O objetivo da abordagem é aumentar a frequência do uso e a qualidade do movimento do membro mais acometido, promovendo assim a recuperação da função motora.

A prescrição, confecção, orientação e treino de órteses e adaptações funcionais fazem parte das intervenções utilizadas pela terapia ocupacional.

As órteses são individualmente confeccionadas em material plástico termomoldável, aceitando o formato anatômico do membro envolvido.

As adaptações são orientadas e planejadas junto com o paciente e a família, visando proporcionar estratégias de simplificação de tarefas e conservação de energia. Podem ser utilizadas para diversas atividades, como alimentação, vestuário, higiene, lazer, escola e trabalho.

Esses dispositivos têm como objetivos:

  • Capacitar e/ou facilitar a pessoa a alcançar desempenho funcional e mobilidade, proporcionando mais independência;
  • Prevenir contratura, deformidades e o comprometimento da função;
  • Favorecer o treino em atividades de vida diária (AVD’s);
  • Promover o desenvolvimento de habilidades e a participação social.

Atendimentos domiciliares, na escola e no trabalho também são realizados pela terapia ocupacional.

O objetivo principal é avaliar o paciente no seu próprio espaço, adaptar, quando necessário, o ambiente, prevenir acidentes e, assim, otimizar seu desempenho funcional.

Adaptação Domiciliar